Skip to Content

Projeto Jaya

A busca da excelência na prestação de serviços em Saúde

O que é o Projeto Jaya?

O Projeto Jaya é um projeto estratégico do GNDI com o objetivo de obter a Acreditação da Operadora NotreDame Intermédica.

Esta Acreditação é concedida pela ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar através do Programa de Acreditação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde da Resolução Normativa - RN nº 507 de 30 de março de 2022 (antiga RN 452/2020 que foi revogada).

Para obter esta Acreditação, a Operadora deve contratar uma Entidade Acreditadora reconhecida pela ANS.

Você sabia 

*Jaya é um nome de origem indiana que significa vitória, ganhando o sentido de "aquela que vence", "vencedora".

Equipe

O que é o Programa de Acreditação de Operadoras?

O Programa de Acreditação de Operadoras é uma certificação de boas práticas em gestão organizacional e em gestão em saúde, de caráter voluntário, realizado por Entidades Acreditadoras, cujo objetivo é a qualificação da prestação dos serviços, induzindo a mudança no modelo de atenção à saúde existente, propiciando uma melhor experiência para o beneficiário.

As quatro dimensões, são divididas em 21 requisitos e, que se subdividem em 169 itens de verificação.

 

Os itens de verificação são classificados como:

Definição Classificação do Item

Os itens essenciais são condição sine qua non para pontuar o requisito.

Caso um item essencial do requisito não seja cumprido, a Operadora receberá nota zero no requisito inteiro.

Os itens complementares são boas práticas recomendáveis e, se cumpridos pela Operadora, elevam a pontuação do requisito.
Os itens de excelência são práticas pouco disseminadas no setor e de maior dificuldade de consecução. O cumprimento de 80% dos itens de excelência é uma das exigências para a Operadora alcançar a Acreditação nível I.

 

Para se submeter à acreditação, as Operadoras devem estar regulares nos programas de monitoramento econômico-financeiros, técnico-assistenciais e de fiscalização da ANS, e ter nota no Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS igual ou maior a 0,6. As Operadoras poderão ser acreditadas em três níveis, a depender do desempenho obtido.

A dimensão 1 busca avaliar a gestão das operadoras considerando aspectos relativos à estrutura organizacional, processos de trabalho, governança corporativa, gestão de riscos corporativos, sustentabilidade e a melhoria da qualidade;
A dimensão 2 busca avaliar a gestão da rede assistencial das operadoras, considerando critérios de qualidade para sua conformação, bem como mecanismos de regulação do acesso dos beneficiários;
A dimensão 3 busca avaliar a gestão do cuidado em saúde pelas operadoras, bem como ações de monitoramento relativas à qualidade da atenção à saúde de sua rede prestadora de serviços de saúde;

A dimensão 4 busca avaliar o resultado da interação entre a operadora, beneficiários e a sociedade, incluído potenciais beneficiários, tendo como parâmetros a percepção dos beneficiários quanto ao atendimento de suas necessidades e expectativas, bem como as ações promovidas pela operadora com foco na melhoria da qualidade dos serviços prestados.

Para o que serve esta Acreditação?

A acreditação da operadora traz benefícios para todos os envolvidos, como:

Beneficiário

Melhor experiência do beneficiário através da adoção de boas práticas de gestão organizacional e de gestão em Saúde, como o monitoramento de prazos assistenciais, qualificação da rede prestadora de serviços, programa de retenção de beneficiários, Coordenação e Integração do cuidado, Programa de Gestão do Cuidado de Condições Crônicas de Saúde, Assistência farmacêutica, disponibilização de canais de comunicação ativo e reativo, entre outros.

Cliente Contratante

Contratação de uma operadora que adota boas práticas de Gestão Organizacional e de Gestão em Saúde garantindo sustentabilidade, governança corporativa, gestão de riscos, gestão da rede assistencial, gestão de pessoas e desenvolvimento de lideranças.

Prestador

Parceria com prestadores oferecendo novos modelos de remuneração baseado em valor, atrelados ao monitoramento de indicadores de qualidade e segurança do paciente, oferta de canal de comunicação com indicadores de melhoria.

Colaborador

A RN enfatiza a importância de cada colaborador para o fortalecimento e para a sustentabilidade da instituição. Incentiva também a adoção de política de gestão de pessoas e desenvolvimento de lideranças, propiciando ao colaborador uma melhor experiência em sua jornada. A Acreditação estimula a promoção da Diversidade e Inclusão, Programas de Saúde do Trabalhador, (Programa de Saúde Ocupacional, Programa de Qualidade de Vida e Bem-estar), Programa de Recrutamento Interno a fim de reter talentos, entre outras iniciativas.

Operadora

Aprimoramento dos processos de sua gestão, redução dos custos desnecessários e otimização dos gastos com a assistência à saúde dos beneficiários; mudança de cultura organizacional focada na gestão da qualidade, Bônus no IDSS conforme nível de acreditação e redução na margem de solvência.

Acionistas

Sustentabilidade econômico-financeira da operadora e Retorno sobre o investimento.

Órgão regulador ANS

A qualificação da prestação dos serviços das Operadoras de Planos de Saúde e Odontológicos facilitando seu papel de regulação, normatização, controle e fiscalização.

Comunidade e Sociedade

A comunidade onde as empresas do Grupo NotreDame Intermédica (GNDI) estão inseridas e a Sociedade, entidades representantes de trabalhadores, tais como sindicatos e associações profissionais, consumidores, ONG¿s, setores empresariais e entre outros se beneficiam de uma operadora Acreditada que adota as boas práticas de gestão organizacional e de gestão em Saúde.

Vantagens da Acreditação da operadora

 

A acreditação garante um diferencial para concorrência no mercado, com possibilidade de racionalização de processos, custos e aumento da confiança dos stakeholders, pois evidencia competência técnica.

Além disso, possui diversos benefícios para a operadora e para os agentes envolvidos no Sistema de Gestão da Operadora, como:

 

Maior sustentabilidade econômico-financeira;

Revisão e melhoria dos processos operacionais, tratamento dos riscos,
redução dos custos da não qualidade e dos desperdícios;

Implementação do Programa de Melhoria da Qualidade com adoção de indicadores
de qualidade;

Maior conhecimento dos prestadores de serviços da rede credenciada;

Avaliação da qualidade da assistência prestada aos beneficiários;

Implementação de ferramentas de gestão e práticas consolidadas de governança,
controles internos e gestão de risco;

Preparação para a RN 443, que será obrigatória a partir de 1 de janeiro de 2023;

Avaliação integrada de vários sistemas com visão holística da operadora;

Mudança de cultura organizacional.

Comunicados

  • Conheça a equipe que lidera o projeto Jaya rumo a Acreditação da Operadora
    Clique aqui >>
    30/03/2022
  • Projeto Jaya
    Depoimentos de alguns integrantes que lideram o projeto Jaya
    Clique aqui >>
    30/03/2022
  • Princípios Estratégicos do GNDI
    Clique aqui >>
    14/03/2022

Principais entregas do projeto

PMQ - Programa de Melhoria da Qualidade

O Programa de Melhoria da Qualidade - PMQ é um Programa que propõe introduzir mudança de valores e comportamentos individuais e organizacionais, servindo como transposição para uma cultura gerencial, de caráter estratégico visando implementar e institucionalizar boas práticas de gestão.

É orientado pelos fundamentos da Qualidade e é formado por uma equipe multidisciplinar que se reúne mensalmente. A maior parte dos integrantes do PMQ realizaram o curso de Formação de Auditores Internos da RN 507.

PMQ

O PMQ deve cumprir 8 itens da RN 452 e tem como funções apoiar as áreas e monitorar e propor ações de melhoria da qualidade dos processos principais com o emprego de ferramentas da Qualidade como o PDCA (ciclo de melhoria contínua) e os 5W3Hs (plano de ação).

O Grupo apresenta indicadores de qualidade alinhados com os objetivos estratégicos estabelecidos pela operadora e alguns indicadores do IDSS - Índice de Desempenho da Saúde Suplementar e deve dar feedback às áreas monitoradas para contribuir com o aperfeiçoamento das metas estabelecidas para elaboração de ações corretivas, bem como identificação da causa raiz de não conformidades.

A efetividade das ações propostas pelo PMQ deve ser avaliada e seus resultados divulgados.

O PMQ também deve elaborar um Plano Anual de Trabalho (PAT) alinhado com o Planejamento Estratégico da operadora.

E a Alta Direção da operadora deve acompanhar o resultado destas atividades através da análise crítica de sua adequabilidade e alinhamento com a estratégia organizacional. Este acompanhamento ocorre de forma semestral através da RAC - Reunião de Análise Crítica.

Auditoria

 

Auditorias

2ª Auditoria de Diagnóstico

Nos dias 13 e 14 de setembro de 2021

Realizada de forma remota nos dias 13 e 14 de setembro de 2021

 

Auditorias

1ª Auditoria de Diagnóstico

De 07 a 12 de dezembro de 2020

Realizada de forma remota de 07 a 12 de dezembro de 2020

RAC

 

RAC - Reunião de Análise Crítica

1ª RAC - Reunião de Análise Crítica do SGQ

26 de novembro de 2021

Sistema de Gestão da Qualidade da NotreDame Intermédica realizado em 26 de novembro de 2021

Fórum de Soluções

Iniciativas do Projeto Jaya

  • Divulgação de  indicadores econômico-financeiros  no portal (item 1.2.14)
  • Estruturação e formalização da implementação de um plano de ação a partir dos resultados da avaliação da auditoria externa de suas demonstrações financeiras e auditorias de Compliance (item 1.2.7)
  • Elaboração do documento do Programa de Retenção de Beneficiários (item 4.2.4)
  • Alinhamento de documentos, registros  (atas, apresentações e listas de presença), objetivos e indicadores do Planejamento e Gestão Estratégica (item 1.1.2)
  • Contratação de auditoria interna e/ou externa de Sistemas de Informação (1.4.6)
  • Celeridade nas ações de estruturação do GRC - Governança, Riscos e Compliance, incluindo a preparação da Operadora para a RN 443 (requisitos 1.2 e 1.6)
  • APS - Atenção Primária à Saúde (Requisito 2.2)
  • Melhorar o atendimento aos prestadores (item 2.3.6)
  • Modelos de Remuneração baseada em valor (Requisito 3.5)
  • Auditoria concorrente (Item 2.4.3) e indicadores de Qualidade e Segurança do paciente (requisito 3.1)
  • Elaboração da Cartilha com a Política de Qualidade e Segurança do Paciente como aditivo contratual para a rede credenciada (requisitos 3.1 e 3.5)
  • Elaboração de estudos epidemiológicos e demográficos da carteira (itens 1.7.12,  3.3.2, 3.3.3 e 3.3.11)
  • Melhorias no portal no perfil beneficiários (itens 4.1.3, 4.1.7, 4.3.1)
  • As áreas envolvidas foram instigadas a elaborar políticas, procedimentos e documentação dos processos relevantes, ajustes contratuais, a melhorar a apresentação de seus indicadores com análise crítica e plano de ação,  o que leva ao amadurecimento da gestão organizacional e em Saúde.