Skip to Content

Blog do Colaborador

De: Comunicação GNDI - 14 Apr 2022

..

Dia Mundial do Café

Conheça a origem e curiosidades sobre a bebida

O Dia Mundial do Café é comemorado anualmente no dia 14 de abril. A data homenageia uma das bebidas mais adoradas do mundo: o café. O Brasil é considerado o maior produtor e exportador de café do mundo, seguido do Vietnã e da Colômbia.

A data foi criada em 2015 por iniciativa da OIC (International Coffee Organization). A ideia dos membros da OIC era organizar uma única celebração do café em todo o mundo. Mas, como o café é amado e consumido em vários países pelo mundo, cada nação criou o seu Dia Nacional do Café.

Em 2005, por iniciativa da ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café), foi criado no Brasil o Dia Nacional do Café, comemorado em 24 de maio.

De onde veio o café

A origem exata do café é extremamente incerta, mas muitos estudiosos remetem ao século IX, nas terras altas da Etiópia. Justamente pela incapacidade de encontrar um local específico, diversas lendas sobre o surgimento do grão foram criadas.

Como é feito o café

Para o café chegar em pó prontinho para o nosso consumo, o primeiro passo é plantar a semente e cultivá-la. Há, antes do plantio, uma análise criteriosa das sementes e também a escolha da variedade do café: existem mais de 25 tipos. As sementes mais cultivadas são a Arábica, usada em preparos de cafés especiais, e a Robusta, mais comuns para comercialização.

Quando o café atinge tons avermelhados ou amarelos, dependendo da variedade, é hora de colher. Em fazendas menores, o processo é feito de forma manual, selecionando os frutos mais maduros e apanhando um a um. Já as grandes fazendas produtoras de café dispõem de menos tempo para colheitas manuais, recorrendo à agilidade e praticidade das máquinas.

A próxima etapa após a colheita é a lavagem dos frutos para a remoção de sujeiras e impurezas como terra, folhas, pedaços de madeira, pedra, insetos e afins. O café fica nesse processo de 12 a 48 horas para fermentar através de enzimas naturais que removem a mucilagem em torno dos grãos.

Nas fazendas mais modernas, isso é feito de forma mecânica, com máquinas que retiram a casca e a polpa do café, separando o grão puro. Na produção dos grandes cafeicultores, essa é a hora em que os grãos são levados às indústrias para mais uma etapa importante: a secagem. Como ficaram na água por bastante tempo, os grãos precisam passar por um procedimento de secagem completa.

O próximo passo é a torra do café. A coloração verde (cru) dá lugar ao marrom que nós conhecemos e tanto apreciamos. Os tons mais escuros sugerem torras mais fortes e sabores mais amargos. A torra leve produz um grão marrom claro, ideal para cafés mais suaves e aromáticos, porém mais ácidos.

Já a torra média resulta em grãos mais equilibrados em acidez, amargor e aroma resultando num café cheio de sabor e ideal para ser consumido com coadores de pano e filtros de papel. Por fim, a torra escura garante um café forte, mais amargo e pouco ácido.

Tipos exóticos

Além do "café de todo dia", existem uma série de espécies mundo afora, raras e caras. Confira alguns tipos exóticos:

Kopi Luwak (Indonésia): civetas (um animal semelhante ao rato) chupam a fruta de café e engolem a semente inteira. A semente passa intacta pelo processo digestivo e é expelida junto com as fezes. No estômago, as sementes absorvem alguns ácidos e enzimas ocorrendo uma fermentação natural. O seu preço pode chegar a R$ 11 mil, por quilo.

Black Ivory Coffee (Tailândia): elefantes esmagam a fruta, porém engolem a semente inteira. A digestão é lenta, portanto os grãos de café são marinados com as outras herbáceas e frutas da ração, promovendo fermentação natural. A semente intacta é expelida com as fezes. São necessários 33 quilos de cerejas de café pra produzir 1 quilo de Black Ivory.

Monkey Coffee (Taiwan): os macacos são os selecionadores naturais, comendo o exterior das frutas e cuspindo os grãos. O café é cuspido, colhido, lavado e secado ao sol.

Riscos do consumo exagerado de café

O café é uma bebida muito apreciada, porém seu consumo em excesso pode causar danos à saúde. Então, é bom ficar atento a alguns fatores ao beber demais. O perigo do café está principalmente na cafeína, que, se ingerida em excesso, pode ser fatal.

Assim como algumas drogas ilícitas perigosas, a cafeína presente no café também pode causar overdose. Já foram registrados casos em várias partes do mundo de morte em decorrência do excesso de cafeína no corpo. Estudos indicam que uma concentração de 50 mg por ml de sangue pode ser suficiente para matar uma pessoa.

Porém, vale destacar que atingir esses níveis dessa substância tomando café é bastante difícil, uma vez que uma xícara comum dessa bebida contém, em média, 260 mg de cafeína.

 

Fontes:

Moka Clube

HF Urbanismo

 

Qual é o seu jeito preferido de tomar café? Conte pra gente!

Você também pode participar. Deixe seu comentário: