Pular para o conteúdo

Blog do Colaborador

De: Comunicação GNDI - 25 ago 2020

..

Tudo o que você precisa saber sobre TPM

Conheça os sintomas, causas, tratamento e quando pedir ajuda

Cólicas, dores de cabeça, inchaço nas mamas, irritabilidade, tristeza, insônia e alteração de humor. Esses são alguns sintomas que visitam todos os meses grande parte da população feminina que menstrua - algumas pessoas de sorte são a exceção. Mas, brincadeiras à parte, a TPM (Tensão Pré-Menstrual) não é um bicho de sete cabeças e pode ser diminuída com um estilo de vida mais saudável.

"A TPM é descrita como um conjunto de sinais e sintomas físicos, emocionais e comportamentais que tem início na segunda metade do ciclo menstrual e melhora com a chegada da menstruação. No período pré-menstrual, ou fase lútea, ocorrem mudanças hormonais que podem provocar alterações físicas e psicológicas: a progesterona se eleva após a ovulação e apresenta queda de seus níveis com a menstruação. Ela é responsável por um aumento do acúmulo de líquido, podendo causar inchaço, por alterações de humor e irritabilidade", explica a ginecologista e obstetra do GNDI, Fernanda de Oliveira Ramos.

Praticar atividades físicas regularmente, uma boa alimentação e noites bem dormidas podem minimizar os efeitos da TPM. Medicamentos anticoncepcionais e antidepressivos também diminuem os sintomas, pois o primeiro bloqueia a ovulação e a flutuação hormonal e o segundo controla a serotonina - neurotransmissor que regula o sono, o apetite, a temperatura do corpo e muito mais.

Uma dica da especialista é evitar situações de estresse ou com muita interação social. "Essa recomendação é bastante difícil de ser seguida, já que várias vezes não conseguimos controlar e reagendar os compromissos da rotina. Eu sei! Mas busque se preservar um pouco, se possível", indica.

Para a psicóloga do Hospital Paulo Sacramento, Bianca do Prado, o apoio de amigos, familiares e companheiros também é essencial para que a pessoa passe por este momento um pouco mais tranquila. "É importante que as pessoas mais próximas compreendam e tenham paciência para evitar comportamentos que possam agravar os sintomas da TPM. O impacto psicológico pode ocorrer de maneira significativa quando as manifestações da doença são perturbadoras, desequilibrando a sua vida social, familiar e profissional. A maioria dos parceiros não sabe como lidar com essa situação, e acaba ignorando ou agindo de forma agressiva".

Quando procurar ajuda?
A TPM deixa de ser normal quando os sintomas físicos ou psicológicos começam a ser muito intensos. "Eles não devem ter impactos negativos na sua vida", diz Dra. Fernanda. Ela explica que as cólicas podem acontecer de forma leve ou moderada; não podem ser incapacitantes ou ir além do período pré-menstrual e menstrual. Quando isso acontece, podem estar associadas a doenças ginecológicas.

Mas, também é preciso ficar atento aos sinais psicológicos: embora haja uma tendência a introspecção, tristeza e irritabilidade, não é normal se sentir deprimida e não conseguir realizar atividades do dia a dia. Cerca de 10% da população que menstrua sofre de Tensão Disfórica Pré-Menstrual (TDPM), uma TPM muito mais forte que pode ser até incapacitante - há casos em que a mulher precisa ser afastada do trabalho por dias.

"A TPM e a TDPM têm períodos de ocorrência semelhantes: são cíclicas e ocorrem na fase pré-menstrual. O que difere entre as duas é a intensidade dos sintomas e o perfil um pouco mais emocional para TDPM, como introspecção, labilidade emocional, perda do apetite, irritabilidade, agressividade e insônia; em contraposição ao perfil um pouco mais físico para a TPM, como cefaleia, indisposição e cólicas", explica a ginecologista.

"Nos quadros leves e moderados de TDPM, a psicoterapia pode ser suficiente para controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida da paciente por meio de técnicas e práticas psicológicas", indica Bianca. Mas, caso os sintomas TPM se tornem incapacitantes e com impacto significativo na convivência social, eles passam a ser considerados graves e devem ser avaliados por um ginecologista e psiquiatra em conjunto.

E você, se identificou com os sintomas? Conte nos comentários a sua história com a TPM.

Você também pode participar. Deixe seu comentário:

 

Jaqueline Afts do Prado - Jundiaí

Ótimo texto.Irei apresentar para meu esposo kk

Marta Julia Alves - Liberdade - Home Office

Com algumas mudanças na alimentação e no modo de viver os incômodos podem ser bem controlados.

Caroline de Valença Silva Matheus - Hospital Salvalus

Bem esclarecedor, já tive momentos de tpm bem forte de me irritar com qualquer coisa e chorar por qualquer coisa rsrs As mulheres entendem....

Acileide Luiza - NotreLabs Tatuapé

É bem certo que esses sinais e sintomas exista mas, está controlado. Ainda bem que hoje com toda tecnologia e conhecimento científico os especialistas"ginecologistas" conseguem identificar o problema e nos apresentar a melhor forma de tratamento.

simone ramos de oliveira - aruja

bem esclarecido

Marta Brígida Martins Pedroso - QUALIVIDA JUNDIAÍ

Excelente conteúdo na matéria TPM. Parabéns para Dra. Fernanda e Psicóloga Bianca do Prado que sempre nos enriquece com seus conhecimentos e principalmente acolhimento.

Fatma Bàtista - Qualivida Jundiai

ÓTIMO TEXTO!!!

Deise Maciel - HMG

É praticamente impossível passar por uma TPM ilesa rsrsrs, se não são sintomas que afeta o corpo são sintomas que afetam o estado de espirito do ser humano.

Jussara Monteiro Silva - Case São Paulo

Acho que grande maioria das mulheres enfrentam essa situação . Comigo não é diferente , sinto uma dor de cabeça terrível , nem remédio ameniza a dor enquanto não passar o período menstrual . Também fico com as mamas inchadas e sem contar nas espinhas que também aparecem rsrsrs , mas creio eu que tudo isso faça parte do processo . Matéria muito boa , sempre é muito bom participar .

Joyce - Hospital São Bernardo

Excelente artigo!!

Michelly Vieira - HMNSR

Senhor(a)!Eu já acontecer é assim por cólica, dor de cabeça, inchaço nas mamas, até por dor coluna. tem 5 dias. é normal... importante para ginecológicas.um mundo as mulheres tem paciências. rsrs

Karen Valéria da Silva - Qualivida Angélica

Muito bacana. Às vezes a TPM é tratada como algo esperado e natural, mas ela pode ter um caráter patológico para o qual é importante um olhar diferenciado. Matéria clara e responsável. Parabéns aos envolvidos.

Fernanda - Santo André 1

Nunca tive crises fortes de TPM,os humores alterados e a vontade de doces sempre aparecem,mas tudo sem exagero.