Pular para o conteúdo

Blog do Colaborador

De: Comunicação GNDI - 09 out 2020

..

Conheça o papel do Key User no Projeto Optimus

Usuário-chave conta como é participar do protejo que vai mudar o sistema do GNDI: "ao mesmo tempo é gratificante e cheio de desafios"

Com o objetivo de tornar os processos do Grupo NotreDame Intermédica mais rápidos, fáceis e seguros, os sistemas de tecnologia estão passando pela implementação do Projeto Optimus, que visa otimizar o trabalho do colaborador em tarefas operacionais para haja mais tempo em atividades estratégicas. Para isso, há uma equipe de pessoas dedicadas em tornar o projeto possível - o coordenador de cadastros, Rogério Ribeiro de Andrade, é uma delas.

O colaborador, conhecido no projeto como key user (ou usuário-chave), é responsável pela migração do cadastro de vidas e empresas no projeto, também terá que definir os novos processos e modelos de negócio analisando os impactos organizacionais, será o embaixador dos módulos da frente de cadastros na organização. Junto com as áreas de faturamento e Tecnologia da Informação (T.I.), ele faz parte da primeira onda, que já está em produção: "Ao mesmo tempo que é gratificante é cheia desafios, mas gosto de ser desafiado e o sucesso no final é ainda mais gratificante". A previsão é de que esta primeira etapa seja concluída em agosto de 2021.

Andrade já pertence à equipe de cadastros do GNDI há 20 anos. Ele foi escolhido para fazer parte do Projeto Optimus pelo envolvimento que tinha com todas as informações e processos da área. "É possível desenhar um futuro diferente com experiências do passado e conhecimento de como funciona no presente", explica. Para ele, a visão do todo traz uma contribuição significativa para as tomadas de decisão do projeto.

"Mudança rápida de mindset, adaptação, ter uma visão de como o diferente pode tornar os processos mais eficiente e a bagagem de uma experiência ímpar para vida profissional", estes são os principais aprendizados que Rogério vai levar do Projeto Optimus. Mas, nada disso funciona sem o envolvimento e a contribuição de todas as áreas: "são muitas informações, as equipes envolvidas nos ajudam a escolher as melhores decisões e ter um entendimento adequando das experiências compartilhadas".

O coordenador de cadastros acredita que as duas primeiras fases - que consistem nesta imigração de dados - vão contribuir para incluir dados reais e ter mais "imersão, de fato, ao sistema com dados reais, com empresas e situações de nosso cotidiano, neste momento teremos mais amplitude de todo benefício adquirido com o novo sistema".

 

Quais são as suas expectativas para esta mudança?

Você também pode participar. Deixe seu comentário: