Pular para o conteúdo

Blog do Colaborador

De: Comunicação GNDI - 13 out 2020

..

Tudo o que você precisa saber sobre prevenção ao câncer de mama

Outubro Rosa: especialista conta quais são os principais fatores de risco, exames e como prevenir

O câncer de mama é o segundo tipo de tumor maligno que mais atinge mulheres e corresponde a 30% de novos casos de câncer ao longo do ano. Quando descoberto precocemente, é possível tratá-lo de forma mais eficaz. Mas, no Brasil, a maior parte dos casos de câncer de mama são diagnosticados de forma tardia, o que torna os tratamentos mais invasivos e lentos. Para conscientizar a população sobre a importância da prevenção, foram criadas diversas campanhas do Outubro Rosa, mês dedicado ao cuidado à saúde da mulher.

Se você é mulher, tem mais de 40 anos ou tem algum histórico na família de mulheres que tiveram câncer de mama antes da menopausa, provavelmente já fez - e faz anualmente - a mamografia. Esse exame é importante para detectar nódulos, lesões e calcificações. Caso os resultados do exame indiquem algum sinal de que algo está errado, há uma biopsia para descartar ou confirmar a presença do câncer de mama.

Mas será que é realmente necessário realizar esse exame todo ano? "Existe um tipo de câncer de mama agressivo que se desenvolve em um ano: o câncer de intervalo. Esse tipo pode se desenvolver entre um exame e outro, por isso indicamos que a mamografia e outros exames similares sejam realizados anualmente após os 40 anos", explica a Dra. Juliana Pierobon, ginecologista e mastologista do Qualivida Higienópolis.

Para as mulheres mais novas, a especialista indica que o melhor exame para detectar nódulos é a ultrassonografia, pois a mamografia não é tão eficaz por conta das mamas mais densas. Já mulheres com alto risco de desenvolverem o câncer também podem realizar uma ressonância magnética, capaz de detectar com mais precisão. Mulheres que possuem próteses também podem realizar a mamografia - mesmo com alguns cuidados especiais, e o resultado tem a mesma eficácia.

Mas, uma atitude que pode fazer toda a diferença é o autoexame e a observação das mamas. Foi graças ao hábito de se tocar, adquirido em 2012, que Larissa da Silva Souza, supervisora administrativa do Centro Clínico Marechal Floriano, encontrou um nódulo e conseguiu prevenir o câncer. "Estava em casa deitada e do nada resolvi passar a mão nos seios, pois senti uma fisgada, e percebi que tinha uma bolinha. E isso era diferente do que eu sempre tive no peito", conta a colaboradora que tem displasia nas mamas.

Larissa não perdeu tempo: agendou consulta para dois dias depois e fez uma bateria de exames para descobrir o que era aquilo. A médica que acompanhou o caso afirmou que não era nada grave e pediu para que a colaboradora repetisse o exame após seis meses. "Do mesmo modo que descobri o nódulo por causa de uma fisgada, eu senti de novo em abril e percebi que ele tinha crescido mais. A impressão que dava é que parecia um limão pequeno. Fiquei desesperada e ali começou a minha saga para resolver isso".

Após uma biopsia, Larissa teve a confirmação de que o nódulo era benigno, mas teve que retirar por conta do crescimento rápido. A cirurgia aconteceu em junho; agora, o próximo passo é realizar exames periodicamente para fazer um acompanhamento.

 

Em frente ao espelho

"Mais importante do que o autoexame é o autoconhecimento das mamas", afirma a especialista. Para a mastologista, é necessário conhecer a estrutura da mama em todas as etapas da vida - desde a primeira menstruação até uma idade mais avançada. Uma forma de fazer isso é apalpar as mamas e as axilas e observá-las em frente ao espelho.

O autoexame é indicado após a menstruação, pois todas as alterações típicas do período já passaram. "Você deve procurar alterações na textura ou na aparência da pele, como carocinhos e nódulos, vermelhidão, retrações e se há descamação ou dor nos mamilos. Deve ainda levantar e baixar os braços, observando se há diferença na forma como as mamas se movem. É importante sempre comparar um lado com o outro e observar a simetria, pois as lesões geralmente aparecem de forma assimétrica em uma mama só", explica.

 

Grupo de risco

Na maioria dos casos, o câncer se desenvolve após a menopausa - por isso, o indicado é que mulheres acima dos 40 anos tenham mais cuidado. Mas, não é só isso: mulheres com obesidade, que já tiveram algum tipo de nódulo ou lesão nas mamas, ou quem tem histórico de câncer de mama precoce na família (ou seja, antes dos 40 anos), está mais suscetível a desenvolver esse tipo de câncer. Por outro lado, mulheres que tiveram filhos mais jovens e/ou amamentaram têm menos chances de desenvolverem esse tipo de câncer.

 

Prevenção?

A especialista explica que, além dos exames periódicos, adotar um estilo de vida saudável é essencial para prevenir o câncer. "Há estudos que comprovam que as atividades físicas moderadas, pelo menos três vezes na semana, diminuem a incidência do câncer de mama em mulheres que nunca tiveram e também a reincidência em mulheres que já tiveram o câncer de mama". A alimentação saudável, ausência de bebidas alcoólicas e fumo, o controle do estresse e o combate à obesidade também podem ser medidas preventivas.

 

Outubro Rosa

O movimento teve início na década de 1990 nos Estados Unidos, quando alguns Estados começaram a fazer campanhas de incentivo à mamografia e outros exames similares no mês de outubro. O laço-rosa era o principal símbolo das ações que tinham o objetivo de diagnosticar e tratar o câncer de mama de forma precoce - ele foi distribuído pela Fundação Susan G. Komen for the Cure aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990. O Brasil adotou o movimento em 2002, quando o monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista - ou Obelisco do Ibirapuera (São Paulo) - foi iluminado em cor-de-rosa no dia 2 de outubro.

 

E para você, qual a importância do Outubro Rosa? Deixe nos comentários suas dicas de prevenção.

Você também pode participar. Deixe seu comentário:

 

Fernanda - Unidade Avançada

Outubro é o mês de destaque ,mas temos que lembrar da importância do auto exame e dos exames de rotina sempre.

claudia aparecida mendes - serviços liberdade

Câncer tem cura, entre de peito nesta luta

ANA LIMA SIMPLICIO - RENASCENÇA CAMPINAS

Prevenir um diagnostico positivo.

Fernanda - Hospital NotreCare Rio

Considero importante, pois sinaliza a mulher sobre a necessidade de se olhar, se amar e consequentemente da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e de colo do útero.

ANDREA LIMA - HOSPITAL FAMILY TABOÃO DA SERRA

Vamos nos cuidar, pois o câncer infelizmente veio para nos destruir. Se ame mas e se cuide.

Bianca - Hospital Modelo Sorocaba.

Quanto mais cedo o diagnostico melhor eu descobri 2 nódulos fazendo o autoexame em casa um em cada seio. Graças á Deus foi benigno feito a retirada através de uma cirurgia e faço acompanhamento com meu ginecologista todo ano.Não é necessário a busca apenas no mês de outubro mais todo dia.Quanto mais cedo melhor.

Dalvenice - Hospital salvalus

Conscientização para o autoexame e exames médicos periódicos

Marilia Eli de Lima - Hospital Samaritano - Sorocaba SP

Temos que nos conscientizar o quanto antes sobre essa doença para não sermos pegas de surpresa.A minha mãe descobriu recente um câncer de mama e sempre teve uma alimentação saudável e sempre manteve o peso.A prevenção deve ser divulgada o ano todo e não só em outubro

solange alves dos santos - Hospital Modelo

Somos Todos GNDI