Pular para o conteúdo

Blog do Colaborador

De: Comunicação GNDI - 20 set 2021

..

Doações de medula e de órgãos: um ato de amor ao próximo

Doadores de órgãos devem comunicar essa intenção em vida; a doação de medula também é simples e pode curar pacientes com diversas doenças

Você já pensou que pode ajudar a salvar vidas com gestos simples? E, neste mês, duas datas promovem a reflexão sobre atitudes altruístas. Em 18 de setembro, comemora-se o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. Já em 27 de setembro, celebra-se o Dia Nacional da Doação de Órgãos

O cadastro de doadores no Redome, o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea, é bem simples. A médica hematologista do GNDI Sul, Cristiane Henriques, explica que a medula óssea é a "fábrica" do sangue que fica dentro dos ossos. É lá que são produzidas as células que circulam na corrente sanguínea, caso das hemácias, leucócitos e plaquetas. Esses três componentes estão envolvidos em processos de transporte de oxigênio dos pulmões pelo organismo, sistema de defesa e sistema de coagulação do sangue, respectivamente. 

Devido a esse papel da medula óssea no corpo humano, a doação pode beneficiar pacientes de uma série de doenças hematológicas. "São doenças como anemia aplástica, anemia falciforme, mielodisplasia, mieloma múltiplo, leucemias e linfomas, devendo cada caso ser analisado", pontua a médica.

Conforme a Dra. Cristiane, os riscos para o doador são mínimos, variando de acordo com a forma de doação, que pode ser realizada através de coleta em centro cirúrgico, sob anestesia, ou através de um acesso periférico, após uso de uma medicação específica. "Quando a doação sai da medula óssea pode haver dor local e fraqueza, mas são sintomas leves e transitórios. Quando a coleta é periférica, pode haver um pouco de dor óssea pela medicação feita antes da coleta, também facilmente controlada", diz. 

Compatibilidade é loteria 
Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), mais de 60% dos pacientes não encontram doadores próximos. A situação se tornou ainda mais difícil para quem espera por um doador durante a pandemia da Covid-19. Em 2020, o cadastro de novos doadores foi o pior desde 2013. 

Estimular essa ação é muito importante porque a chance de um paciente encontrar uma medula óssea compatível se aproxima da probabilidade de ganhar na loteria - é de 1 em 100 mil. Para se ter uma ideia, o doador ideal (irmão compatível), está disponível em apenas 25% das famílias brasileiras.

Se você se interessou em fazer parte dessa causa, procure o hemocentro mais próximo e agende uma consulta de esclarecimento sobre a doação de medula óssea. Mesmo durante a pandemia, é possível fazer o cadastro seguindo todos os protocolos de segurança. Mais informações também podem ser obtidas no site do Redome, o redome.inca.gov.br.

Doação de Órgãos 
O Dia Nacional da Doação de órgãos foi instituído pela Lei nº 11.584/2007 com o objetivo de incentivar o diálogo sobre esse assunto entre os familiares. Campanhas colocaram holofotes sob a doação de órgãos e ampliaram o debate sobre o tema. Mesmo assim, trata-se de uma questão polêmica e que ainda gera muitas dúvidas no mundo todo, não só no Brasil. 

De acordo com pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) há três motivos principais que explicam a alta taxa de recusa sobre a doação de órgãos: a incompreensão da morte encefálica, a falta de preparo da equipe de saúde para fazer a comunicação sobre a morte e a religião. Daí a importância das pessoas se declararem doadoras em vida. 

No Brasil, essa comunicação pode ser oficializada durante uma conversa informal numa reunião em família ou por meio de um registro nas redes sociais, email, SMS ou whatsapp. No site www.soudoador.org há a sugestão de uma frase para informar sua decisão: "Família, tenho orgulho de comunicar que sou doador de órgãos"

No entanto, em caso de falecimento, são os familiares que devem autorizar a doação por escrito. Quando a morte encefálica for constatada, uma ou mais partes do seu corpo (órgãos ou tecidos), em condições de serem aproveitadas para transplante, podem ajudar outras pessoas. Podem ser doados coração, córneas, pulmão, rins, fígado, pâncreas, ossos, medula óssea, pele e valvas cardíacas.

É possível ser doador em vida? 
Sim. Caracterizam-se como doadores vivos aqueles que doam um órgão duplo - como o rim, uma parte do fígado, pâncreas ou pulmão, ou um tecido como a medula óssea. Apenas um médico poderá analisar o histórico clínico da pessoa e as doenças anteriores. Em qualquer caso, a compatibilidade sanguínea é essencial. Além disso, as doações só podem ser realizadas se não apresentarem nenhum risco à saúde do doador. 
 

Nos conte nos comentários se você é doador de medula óssea ou se já comunicou que deseja ser doador de órgãos.

Você também pode participar. Deixe seu comentário:

 

Isabel Aparecida Loschi - Jundiai

gostei

Andréa Romão - CC Angélica

Gostaria de ser doadora de medula óssea,mas ainda não fui até um hemocentro para obter maiores informações sobre o assunto.

CINTIA DIONISIO - HOSPITAL SÃO BERNARDO

APELO ! TENHO UMA AMIGA QUE A NETINHA DELA DE 1 ANO NASCEU COM SÉRIO PROBLEMA NO FÍGADO E ESTA NA FILA DOS TRANSPLANTES AGUARDANDO UM DOADOR COMPATÍVEL, A CAMPANHA ESTA NO FACE E NO INSTA, TODOSPELAMARJORIE. PEÇO QUEM SENTIR NO CORAÇÃO O DESEJO DE SALVAR UMA VIDA COM UM PEDACINHO , ENTRE EM CONTATO POR FAVOR 11 983571077 CINTIA

Juliana Alves Domingues - H Modelo Sorocaba

Me cadastrei para ser doadora de medula óssea e espero um dia poder ser útil e ajudar a salvar a vida de alguém. Penso o mesmo com relação a doação de órgãos. Acho importantíssimo e um ato de amor pelo próximo!

Anacélia - Notrelabs Arujá

Não pense na doação de órgãos como oferecer uma parte de você para que um desconhecido possa viver . Na realidade é um desconhecido que oferece o corpo para que uma parte de você possa continuar vivendo.

FERNANDA IDALGO DO AMARAL - HOSPITAL SÃO BERNARDO.

Eu acho que o cadastramento para quem quer ser um doador de medula poderia ser mais divulgado, e de mais fácil acesso. Poderia haver campanhas móveis até mesmo em unidades hospitalares, para que os funcionários pudessem tirar dúvidas e fazer o cadastro, acredito que ainda há pouca informação sobre esse assunto tão importante.

Viviane Rodrigues da Silva - Hospital Santana Mogi das Cruzes

Bom diaGostaria de ser uma doadora, como faço para me cadastrar, fico no aguardo obrigada.

isabella - SEDE- Paulista

Super necessário este post, acho importante conhecermos e entender a importância que o nosso corpo nos permite causar na vida do próximo. Me interessei sobre a doção de medula com certeza irei atrás de mas informações, já sobre ser doadora de órgãos deixo bem claro a toda minha família minha decisão de doas SIM! Acredito na importância desse comunicação e escolha.

vanderli dos santos - salvalus

nao sou ,mas tenho desejo de medula qto de doador de orgaos.

Luciene Moura dos Santos - PS BARUERI

Boa tarde esta iniciativa e simplesmente perfeita e vai ajudar muitas pessoas ,Quero muito ser doadora .

Bruna Kiloá Vicente Mathias - Sede, 867

Temaço e muito importante!Parabéns!!!

Maria Alzeni da Silva - CC Cotia

Não sou doadora ainda, mais tenho muito interesse em me tornar uma doadora de medula óssea. Para que eu possa ajudar alguém que esteja precisando.

LENIRA - PS ANALIA FRANCO

A abordagem deste assunto é fundamental para a conscientização!! Matéria fantástica!Doação de orgãos é um Gesto Nobre! Expressa Generosidade e altruísmo!!

Anacélia - Notrelabs Arujá

Matéria muito esclarecedora ,conteúdo muito apropriado para se repensar em relação a doação de órgãos . Um ato de muito amor ao próximo. A doação de órgãos: é permitir que histórias continuem.