Pular para o conteúdo

Blog do Colaborador

De: Comunicação GNDI - 10 mai 2022

..

Práticas para identificar e combater o bullying

Esse tipo de agressão pode ocorrer tanto na vida social quanto no trabalho. Veja como identificar esse problema

O bullying afeta a pessoa de forma grave e abrangente. Quem sofre esse tipo de agressão em algum momento da vida, principalmente na infância, pode ter reflexos significativos em seus relacionamentos, marcando negativamente sua vida por anos.

De acordo com Adriana Dantas Jordão, psicóloga do Qualivida SP, algumas consequências do bullying são: agressividade, dificuldade de se relacionar com outras pessoas e problemas psicológicos, como depressão, transtornos alimentares, risco de suicídio, entre outros.

É muito importante que os pais, familiares e amigos observem e investiguem as causas de mudanças significativas no humor e no comportamento de jovens e crianças. "A confiança e o vínculo são essenciais para chegar até esse jovem ou criança e tentar identificar se há sinais de que esteja ocorrendo bullying. Caso necessário, procure ajuda de um profissional, como o psicólogo, para reconhecer e tratar os fatores que estão desencadeando as alterações de comportamento", diz Adriana Dantas Jordão.

Alguns sinais de que a pessoa está sofrendo bullying:

  • Desinteresse pela escola;
     
  • Afastamento dos amigos;
     
  • Machucados/hematomas constantes;
     
  • Choro e tristeza frequente sem motivo;
     
  • Irritabilidade e agressividade frequente;
     
  • Pesadelos, dificuldades para dormir;
     
  • Alterações no apetite;
     
  • Mudanças de humor;
     
  • Apatia frequente;
     
  • Recusa de participar de eventos e atividades com a escola;
     
  • Materiais danificados frequentemente;
     
  • Ansiedade.

Não é apenas na escola e em grupos sociais que acontece bullying. O ambiente de trabalho também pode se tornar nocivo e gerar riscos à saúde física e mental dos colaboradores.

Para combater o bullying no nosso ambiente, o GNDI estabelece políticas e normas de conduta ética no trabalho, favorecendo a boa convivência, o respeito e as regras no relacionamento profissional.

Outra iniciativa é oferecer canais para denúncia de casos como o Canal de Denúncias do GNDI, que pode ser acessado, clicando aqui.

"Uma solução para prevenir o problema é envolver a área de saúde do trabalho e o RH.  Em algumas oportunidades, ações promovidas por setores ligados ao bem-estar profissional, como a CIPA, também pode ser uma forma de ressaltar a importância do respeito e do bom relacionamento entre os colaboradores", orienta a psicóloga do GNDI.

Você também pode participar. Deixe seu comentário:

 

ÁUREA DOS SANTOS CALDEIRA - CENTRO CIRURGICO

ACHO MUITO IMPORTANTE ISSO QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO TENHO UMA CRIANÇA QUE É MUITO TÍMIDA E TEM MUITA DIFICULDADE PARA SE RELACIONAR ESTOU PASSANDO ELE NO PSICÓLOGO POIS ATÉ NA ESCOLA ELE É TÍMIDO SENDO ASSIM É UMA CRIANÇA QUE PODE VIR A SOFRER BULLYNG ESSA INICIATIVA DE VOCÊS NOS AJUDA E INCENTIVA .

Juliana Moura - CEMA BARRA FUNDA

Bom Dia!Só quem passa por situações de bullying sabe como é, infelizmente a sociedade não aceita o fato de as pessoas terem uma parte do corpo / um estilo/ 'diferente", não são as pessoas que definem e sim o padrão imposto, mas a cada um devemos sim superar e buscar ajuda de um profissional e não se angustiar por ser diferente dos outros (é a nossa genética ), acredito que buscando algo para distração ou superação daquilo que os outros destrói em nós, conseguimos alcançar não a perfeição mas o respeito . É muito ruim em qualquer lugar ter que aceitar o fato de que seres humanos (assim como quem passa por determinadas situações ) ainda não acordam para essa realidade e acham normal esse tipo de preconceito.